• denuncias
  • peticionamento
  • Mediação
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
  • Não categorizado
  • Vencedores do Prêmio MPT na Escola participam de solenidade em Brasília

  • Banner
  • Horario atendimento 2020
  • BRASILIT BANNER
  • Aviso desfazimento 02 2019
  • Banner eliminacao
  • banner protocolo
  • Banner audin
  • abaixo assinado trabalho escravo

Vencedores do Prêmio MPT na Escola participam de solenidade em Brasília

Solenidade contou com apresentação artística do vencedores e exibição dos trabalhos premiados nas cinco categorias

Brasília – Estudantes do ensino fundamental de nove estados estiveram presentes na PGT no dia 3 de dezembro para a cerimônia de entrega da 5ª edição do Prêmio MPT na Escola. A ação é uma parceria entre o MPT, por meio de sua coordenadoria de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente (Coordinfância), e as secretarias municipais de educação. A solenidade contou com apresentação artística do vencedores e exibição dos trabalhos premiados nas cinco categorias: conto, poesia, música, desenho e curta-metragem. Três municípios do interior de São Paulo foram premiados no evento: Atibaia, com primeiro lugar na categoria Música; Charqueada, com segundo lugar na categoria Música; e Limiera, com o segundo lugar na categoria Desenho. Os procuradores Catarina von Zuben e Paulo Crestana, de Campinas, acompanharam a premiação. 

 Durante a abertura do evento, o procurador-geral, Alberto Balazeiro, enfatizou o caráter transformador da iniciativa e reafirmou o compromisso do Ministério Público do Trabalho em erradicar o trabalho infantil. “A capacidade das instituições de reagir ao trabalho infantil está na raiz, na opção de nação que queremos”, afirmou.

A procuradora do MPT e gerente nacional do projeto “Resgate a Infância”, Cândice Gabriela Arosio, lembrou que não é fácil buscar soluções para a garantia de direitos de crianças e adolescentes, mas que é preciso enfrentar esses obstáculos. “Se conseguirmos atingir a vida de uma única pessoa mudando ou influenciando o seu destino em busca de um futuro diferente, longe da violência, do descaso e do trabalho infantil, tudo terá sentido e terá valido a pena”, disse.

A coordenadora nacional da Coordinfância, Ana Maria Villa Real, considera o MPT na Escola uma das iniciativas mais importantes da coordenadoria por proporcionar a disseminação do tema em diversos ambientes. "Ao levar o tema do correto enfrentamento do trabalho infantil para o ambiente escolar, consegue-se atribuir um efeito expansivo ao debate nos ambientes familiares e comunitários, dando-se a devida importância e visibilidade à temática", afirmou a coordenadora.

A secretária-executiva do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI), Isa Oliveira, criticou o argumento de que o trabalho infantil é a solução para se reduzir a pobreza ao defender que o mundo das crianças é o mundo da brincadeira, do lazer e das oportunidades proporcionadas pela escola. “Nós temos que resistir e não aceitar, e continuar defendendo que criança tem direito a ser criança e adolescente tem o direito de ser adolescente”, frisou.

Emoção - Antes da entrega dos prêmios aos vencedores, houve exibição dos curtas produzidos, dos desenhos e também apresentação, pelos próprios autores, dos contos, poesias e músicas vencedoras. A estudante Gessina Matias de Souza, do Centro Educacional Raízes e Asas, de Aracati (CE), foi uma das que emocionou a plateia ao cantar a música “Tempo Certo".  Assim como a aluna Ana Carolina Nobre Medeiros, da escola Zilcar de Sousa Holanda, no município de Quixadá (CE), que declamou a poesia de sua autoria “Não Finjas que não viu".

A solenidade de abertura do 5º Prêmio MPT na Escola também contou com a participação do presidente da Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), Ângelo Fabiano Faria da Costa, do secretário de Trabalho e de Educação do Distrito Federal, João Pedro Ferraz, e da juíza da Vara de Execução de Medidas Socioeducativas (Vemse) do Distrito Federal Lavínia Tupy.

Acesse aqui o resultado do prêmio e veja os vencedores de 2019.

Regras – O prêmio “MPT na Escola” é realizado em três etapas: municipal, estadual e nacional. Na etapa municipal, as escolas participantes submetem à secretaria municipal de educação os trabalhos de seus alunos. Nesta fase, a seleção é realizada pelo governo do município. Já na etapa estadual, as secretarias municipais de educação inscrevem os trabalhos vencedores, e a seleção dos melhores de cada estado fica a cargo da Coordinfância regional. Por fim, os primeiros lugares de cada estado competem na seleção dos vencedores nacionais do prêmio, promovida pela Coordinfância nacional. Os primeiros colocados receberam um tablet e tiveram custeadas a viagem para a solenidade de premiação.

A competição é realizada dentro de dois grupos etários de alunos: alunos de 4º e 5º ano e alunos de 6º e 7º ano do ensino fundamental. Em cada grupo, as crianças e adolescentes podem ser inscritos em cinco categorias: conto; poesia; música; desenho; e curta-metragem. Os trabalhos submetidos podem ser realizados por mais de um aluno – são aceitos grupos de 2 a 5 integrantes, a depender da categoria.

Imprimir

  • banner pcdlegal
  • banner abnt
  • banner corrupcao
  • banner mptambiental
  • banner transparencia
  • banner radio
  • banner trabalholegal
  • Portal de Direitos Coletivos