• denuncias
  • peticionamento
  • Mediação
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
  • Não categorizado
  • MPT Campinas sedia Webinar que discute relação do uso de agrotóxicos e câncer

  • Denuncia Covid
  • Banner atendimento
  • PELE PAE
  • Banner escala agosto
  • Certidao Negativa
  • coronavirus
  • Pesquisa
  • Chamamento Sede PTM
  • Banner calendario 2020

MPT Campinas sedia Webinar que discute relação do uso de agrotóxicos e câncer

Evento virtual realizado pelo Fórum Paulista de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos tem como objetivo debater os impactos negativos do uso de agrotóxicos à saúde humana e a contribuição da genética na identificação de riscos

Campinas - No próximo dia 23 de agosto, às 19h, o Fórum Paulista de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos realizará o seu 1º Webinar, com o objetivo de trazer ao público a discussão sobre a relação do uso de agrotóxicos e o câncer, mediante a análise da contribuição da genética na identificação dos riscos. O evento será transmitido ao vivo pelo canal do Ministério Público do Trabalho em Campinas no YouTube (youtube.com/mptcampinasoficial).

Estão listados como debatedores a coordenadora do Fórum Paulista e defensora pública, Lígia Mafei Guidi, a coordenadora-adjunta do Fórum Nacional e procuradora do Ministério Público Federal, Fátima Borghi, e o pesquisador do Centro de Oncologia Molecular do Hospital do Câncer de Barretos, Henrique César Santejo Silveira. A mediação ficará por conta da coordenadora-adjunta do Fórum Paulista e procuradora do MPT Campinas, Marcela Monteiro Dória.

“A iniciativa de trazer à discussão esse tema tão sensível à sociedade tem como base as estatísticas que apontam o aumento do uso de agrotóxicos no Brasil, bem como dos casos de cânceres na população, através de estudos recentes, atingindo tanto a classe trabalhadora quanto o consumidor final”, explica a procuradora Marcela Dória.

De acordo com o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), que coleta dados gerados pelo Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica (SNVE), entre 2007 e 2017, 41,6 mil casos de intoxicação por agrotóxicos de uso agrícola acumularam-se, em escala crescente: no primeiro ano do período, 2,2 mil casos tinham sido notificados; em 2017, foram 5,1 mil casos, mais que o dobro. Considerando a totalidade dos casos relacionados de 2007 a 2017, 88% se referem a intoxicações agudas e 42% foram decorrentes de exposição ocupacional.

O Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas (Sinitox), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que agrupa dados dos centros de informação e assistência toxicológica, revela cenário similar: do total de 43,5 mil casos de intoxicação por agrotóxicos agrícolas registrados de 2007 a 2016, 25% correspondem a acidente individual e 23% são relativos à exposição ocupacional, somando 48% de casos de intoxicação presumivelmente relacionados ao trabalho. As tentativas de suicídio representam 39% e 45% de todos os casos de intoxicação por agrotóxico agrícola listados no Sinan (2007-2017) e no Sinitox (2007-2016), respectivamente.

O Censo Agropecuário 2017, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no fim de 2019, apontou um crescimento significativo, em comparação com os dados do Censo de 2006, do número de estabelecimentos agrícolas que utilizam agrotóxicos: do total de 5.073.324 unidades agropecuárias recenseadas em 2017, 36% declararam utilizar agrotóxicos, ao passo que, em 2006, para um total de 5.175.636 unidades, essa proporção era de 30%. O aumento do número de novos registros concedidos a agrotóxicos e afins, noticiado mais recentemente, aponta para a continuidade acelerada dessa tendência. Se, de 2005 a 2015, a média de novos registros por ano ficou em 140,5, a partir de 2016, o número salta para 277 novos registros e, em 2017, 2018 e 2019, atinge 405, 449 e, finalmente, 474 novos registros, respectivamente.

Sobre o Fórum - O Fórum Paulista de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos consiste em um espaço permanente, plural, aberto e diversificado de debate para a formulação de propostas, discussão e fiscalização de políticas públicas e de outras questões relacionadas aos impactos negativos dos agrotóxicos, produtos afins e transgênicos, na saúde do trabalhador, do consumidor, da população e do ambiente O Fórum tem como objetivo geral proporcionar, em âmbito estadual, o debate das questões relacionadas aos agrotóxicos e produtos afins e transgênicos, de modo a fomentar ações integradas de tutela à saúde do trabalhador, do consumidor, da população e do ambiente ante os males causados pelo seu uso.

Serviço:

- 1º Webinar do Fórum Paulista de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos - Relação do uso de agrotóxicos e câncer: contribuição da genética na identificação de risco

- 23 de setembro, quarta-feira, às 19h – youtube.com/mptcampinasoficial

- Debatedores:
Lígia Mafei Guidi - coordenadora do Fórum Paulista e defensora pública;
Fátima Borghi - coordenadora-adjunta do Fórum Nacional e procuradora do Ministério Público Federal;
Henrique César Santejo Silveira – pesquisador do Centro de Oncologia Molecular do Hospital do Câncer de Barretos;
Mediação: Marcela Monteiro Dória - coordenadora-adjunta do Fórum Paulista e procuradora do MPT Campinas.

Imprimir

  • banner pcdlegal
  • banner abnt
  • banner corrupcao
  • banner mptambiental
  • banner transparencia
  • banner radio
  • banner trabalholegal
  • Portal de Direitos Coletivos