• denuncias
  • peticionamento
  • Mediação
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
  • Não categorizado
  • Escolhidos os vencedores da etapa regional do Prêmio MPT na Escola 2017

  • banner odonto
  • banner novembro azul
  • Banner Site 11 10
  • Aviso de Desfazimento 2017
  • Aviso convenio julho2
  • banner protocolo
  • Banner audin
  • abaixo assinado trabalho escravo

Escolhidos os vencedores da etapa regional do Prêmio MPT na Escola 2017

Campinas – Foram escolhidos os vencedores da etapa regional do Prêmio MPT na Escola envolvendo os municípios da região de Campinas nas categorias Conto, Poesia, Desenho, Música, Curta Metragem e Esquete Teatral. O júri que elegeu os melhores trabalhos foi composto pelos procuradores Marco Aurélio Estraiotto Alves, Paulo Penteado Crestana e Ronaldo Lira.

Todos os trabalhos apresentados tiveram como tema o fortalecimento da infância em detrimento do trabalho infantil, cuja prática traz prejuízos físicos, sociais, psicológicos e grande evasão escolar, levando prejuízos diversos à criança ou adolescente.  

Os vencedores participarão da etapa nacional, com a chance de ganharem prêmios que totalizam R$ 240 mil.  São eles:

Conto

Título: Sonho de garoto

Escola: E.M. Rosiris Maria Andreucci Stopa

Município: Atibaia

Aluno: Victor Faria Rodrigues

Curta-Metragem

Título: O Trabalho Infantil Não É Brincadeira Não

Escola: EMEF Professor Geraldo Sorg

Município: Mogi Guaçu

Alunos: José Rodrigues Silva Barbosa, Stefany Ferreira Gomes, Janisson Bernardino da Silva, João Afonso Justino, Raí da Conceição

Desenho

Título: Infância De Espinhos

Escola: EMEF Professora Marina Aparecida Rogério Paschoalotti

Município: Mogi Guaçu

Aluna: Emily Cristina Rosendo Scotti

Esquete Teatral

Título: Não Ao Trabalho Infantil, Sim Aos Estudos!

Escola: CIEP Anísio Spinola Teixeira

Município: Americana

Alunos: Livia Montrazio, Emely Miguell Moreira, Vitoria C. C. Mendonça, Maria Eduarda Rodrigues Reis, Thaina de Oliveira Sobrinho, Ellen Vitória da Silva Vela, João Marcos Rodrigues, Guilherme A. de Souza, Yasmin B. dos Santos Guedes, Karla R. de Lima, Geovana O. Bueno

Música

Título: Um Mundo Melhor

Escola: E.M. Eva Cordula Vallejo

Municípío: Atibaia

Alunos: Guilherme Costa Fernandes, Nayara Faria da Silva, Simone Aparecida de Oliveira Jorge, Stella Stanley Spada, Victoria Martiliano da Silva

Poesia

Título: Trabalho Infantil? Nunca!!

Escola: EMEF Avelino Canazza

Município: Campinas

Aluno: Pedro Alexandre dos Santos

 

O “MPT na Escola” é um projeto criado pela Coordenadoria Nacional de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente (Coordifância) para incentivar o entendimento de pais e alunos da rede pública de ensino acerca da proibição do trabalho de crianças e adolescentes, e torna-los replicadores da causa. Para isso, o envolvimento da escola, por meio de sua diretoria e de seu corpo docente, mostra-se essencial na transmissão da mensagem, sempre apoiados por treinamentos e material didático desenvolvidos especialmente para este fim, fornecidos pelo MPT.

Nas escolas, os educadores apresentam o conceito de trabalho infantil, as formas de proibição e as normas protetivas da criança e do adolescente. Os alunos também aprendem que é proibido o trabalho abaixo dos 16 anos fora do sistema de aprendizagem, o trabalho noturno, insalubre, perigoso e aqueles contidos no decreto federal nº 6.481/08, que lista as piores formas de trabalho infantil.

O estado de São Paulo é o mais rico e desenvolvido da Federação em termos socioeconômicos, mas mesmo assim, é palco frequente do trabalho infantil. De acordo com o último censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), de cada dez crianças e adolescentes entre 10 e 17 anos, um trabalha. A situação não se restringe a uma determinada região ou atividade. O trabalho irregular de menores de 18 anos é uma dura realidade no território paulista. Ainda segundo o estudo do IBGE, na faixa dos 10 aos 13 anos, cerca de 70 mil crianças trabalhavam em São Paulo. 

Imprimir

  • banner pcdlegal
  • banner abnt
  • banner corrupcao
  • banner mptambiental
  • banner transparencia
  • banner radio
  • banner trabalholegal
  • Portal de Direitos Coletivos